LIMBO from Inês d'Orey on Vimeo.

LIMBO from Inês d'Orey on Vimeo.


Limbo contemplates what it is to exist in an indefinite and uncertain state.
By portraing young protesters, Inês d'Orey proposes a reflexive perspective on a revolted and outraged generation that is, at the same time, paralyzed in a state of suspension and anticipation.


In the 21st century, after all histories and endings having come to an end, Youth is an age group that increasingly expands its borders: on the one hand, one is part of that group increasingly sooner, on the other hand, the end of that condition is harder and harder to distinguish. This Youth, large in number and in strenght, has at its disposal a whole new world of different means and forms, providing it with a unique, emergent and strong voice. And so do these young men and women wander through their immediate futures, in passionate screams and tense bodies, side by side with disturbing muteness and inertia.


Limbo is an emotional portrait of a generation that, looking at the stage without daring to go on it, under the haze of the non-inscription, waits patiently and unpatiently for some other act. It doesn't dare aspire to anything else than the next minute, but deeply believes that, one way or the other, something will have to change.


Limbo is presented in photography and video. 2012.

Limbo contempla o que é existir num estado de impasse e incerteza.
A partir de retratos de jovens manifestantes, Inês d'Orey propõe uma perspectiva reflexiva sobre uma geração revoltada e indignada que, ao mesmo tempo, se encontra paralisada e num estado de suspensão e de espera.

Em pleno século XXI, findas as histórias e findos os fins, a juventude é um grupo etário que cada vez mais expande as suas fronteiras: se por um lado se é jovem cada vez mais cedo, por outro lado a saída desse estado é cada vez mais difícil de distinguir-se. Esta juventude, grande em número e em potência, tem à sua disposição todo um novo mundo, de díspares meios e formas, que lhe traz uma voz própria, emergente e forte. Assim, vagueiam estes jovens por tempos de futuro disfarçado de agora, em gritos apaixonados e corpos tensos, lado a lado com uma mudez e uma inércia inquietantes.

Limbo é um retrato emocional de uma geração que, olhando o palco sem ousar subir-lhe, sob o nevoeiro da não inscrição, aguarda paciente e impacientemente um qualquer próximo acto. Não se atreve a desejar mais do que o minuto seguinte, mas crê num seu íntimo sebastianista que, algures e de alguma forma, algo haverá de mudar.

Limbo é apresentado em fotografia e vídeo. 2012.

LIMBO from Inês d'Orey on Vimeo.

LIMBO from Inês d'Orey on Vimeo.


Limbo contemplates what it is to exist in an indefinite and uncertain state.
By portraing young protesters, Inês d'Orey proposes a reflexive perspective on a revolted and outraged generation that is, at the same time, paralyzed in a state of suspension and anticipation.


In the 21st century, after all histories and endings having come to an end, Youth is an age group that increasingly expands its borders: on the one hand, one is part of that group increasingly sooner, on the other hand, the end of that condition is harder and harder to distinguish. This Youth, large in number and in strenght, has at its disposal a whole new world of different means and forms, providing it with a unique, emergent and strong voice. And so do these young men and women wander through their immediate futures, in passionate screams and tense bodies, side by side with disturbing muteness and inertia.


Limbo is an emotional portrait of a generation that, looking at the stage without daring to go on it, under the haze of the non-inscription, waits patiently and unpatiently for some other act. It doesn't dare aspire to anything else than the next minute, but deeply believes that, one way or the other, something will have to change.


Limbo is presented in photography and video. 2012.

Limbo contempla o que é existir num estado de impasse e incerteza.
A partir de retratos de jovens manifestantes, Inês d'Orey propõe uma perspectiva reflexiva sobre uma geração revoltada e indignada que, ao mesmo tempo, se encontra paralisada e num estado de suspensão e de espera.

Em pleno século XXI, findas as histórias e findos os fins, a juventude é um grupo etário que cada vez mais expande as suas fronteiras: se por um lado se é jovem cada vez mais cedo, por outro lado a saída desse estado é cada vez mais difícil de distinguir-se. Esta juventude, grande em número e em potência, tem à sua disposição todo um novo mundo, de díspares meios e formas, que lhe traz uma voz própria, emergente e forte. Assim, vagueiam estes jovens por tempos de futuro disfarçado de agora, em gritos apaixonados e corpos tensos, lado a lado com uma mudez e uma inércia inquietantes.

Limbo é um retrato emocional de uma geração que, olhando o palco sem ousar subir-lhe, sob o nevoeiro da não inscrição, aguarda paciente e impacientemente um qualquer próximo acto. Não se atreve a desejar mais do que o minuto seguinte, mas crê num seu íntimo sebastianista que, algures e de alguma forma, algo haverá de mudar.

Limbo é apresentado em fotografia e vídeo. 2012.