Mecanismo da troca (Softcover Edition) by Inês d'Orey | Make Your Own Book

Mecanismo da troca [Swop mechanism] is a book with photographs, collages and notes, invented or revisited by Inês d'Orey, and intersected with the writing of Eduardo Brandão, Filipa Leal, Hugo Gonçalves, Jacinto Lucas Pires, Leonor Baldaque, Luís Gouveia Monteiro, Marta Lança, Nuno Sobral and Raquel Freire.
Coordination by Maria Burmester. Introduction text by José Luís Tavares.
Texts in portuguese.

Mecanismo da troca é um livro com fotografias, colagens e apontamentos, inventados ou revisitados por Inês d'Orey, e cruzados com a escrita de Eduardo Brandão, Filipa Leal, Hugo Gonçalves, Jacinto Lucas Pires, Leonor Baldaque, Luís Gouveia Monteiro, Marta Lança, Nuno Sobral e Raquel Freire.
Coordenação de Maria Burmester. Texto de introdução de José Luís Tavares.
Textos em português.

ISBN: 978-989-20-1903-1

Mecanismo da troca
Compêndio de derivas, tormentos e algumas alegrias breves

O Mecanismo da troca é um livro com fotografias, colagens e apontamentos, inventados ou revisitados por Inês d'Orey, e cruzados com a escrita de Eduardo Brandão, Filipa Leal, Hugo Gonçalves, Jacinto Lucas Pires, Leonor Baldaque, Luís Gouveia Monteiro, Marta Lança, Nuno Sobral e Raquel Freire.

Soundtrack é um projecto de Inês d'Orey que explora as representações, símbolos e espaços da morte. Consta de uma série de fotografias em grande formato em que o olhar determinantemente subjectivo da autora permeia pelos conceitos e ideias que a fé, a religião e a cultura envolvente impõem sobre a temática. Cada fotografia é acompanhada de som, ou música ou texto falado, especialmente concebido para cada fotografia por um número de criadores de sons convidados.

Foi a partir da experiência de Soundtrack que se inventou o Mecanismo da troca. Em Green cross, uma das fotografias do conjunto, uma fortíssima cruz em alto relevo impõe-se a uma parede de betão fria, humedecida, esverdeada e tensa. Esta fotografia foi fornecida a um conjunto de jovens autores portugueses, sem mais qualquer explicação do que a do desafio de criar um corpo escrito que nela tivesse origem. Não se impôs qualquer direcção ou limite à escrita. Deixou-se que simplesmente acontecesse.

Posteriormente, os textos foram postos na mão da fotógrafa, para serem cruzados, sobrepostos e entrelaçados com novas interpretações, divagações, comentários, sensações, riscos, traçados e apontamentos imagéticos. Desde a fotografia ao desenho, desde o brilho à sujidade, desde a luminosidade à escuridão, desde o muito ao pouco, desde o mito ao louco, desde o sim ao não.

O resultado é este livro: uma amálgama entrópica de imagens, ditos e coisas, que se oferece para ser desfrutado, tanto de forma séria ou racional, como de forma sensorial ou sensacional.

Este é o Mecanismo da troca, compêndio de derivas, tormentos e algumas alegrias breves.

José Luís Tavares